Schützer Educacional - Pós, Licenciaturas, Extensões, Profissionalizantes

Você é o que você se diz: a ciência do diálogo interno

Se você quiser variar a percepção que tem sobre você, precisa alterar seu diálogo interior. A forma como você conversa consigo mesmo condiciona sua capacidade de enfrentar as dificuldades e determina a tomada de decisões. A autoafirmação, ou pensar coisas positivas sobre nós mesmos, é uma ferramenta muito útil para reforçar a autoestima. Entretanto, não vale qualquer comentário. Já ficou comprovado que frases como “aguento tudo” ou “sou uma pessoa superagradável” não ajudam muito. Quem as expressa não está realmente convencido disso, então essas expressões podem ter efeito contrário. A ciência do diálogo interior nos dá pistas sobre as técnicas que tornam nossas autoafirmações eficazes: devemos imaginar futuras situações agradáveis e nos tratar na segunda pessoa. Vejamos em mais detalhe.

Um estudo sobre imagens cerebrais demonstrou o impacto das autoafirmações. Os pesquisadores solicitaram a 67 participantes, sendo 41 mulheres, que enumerassem diferentes situações da vida em função do valor que lhe atribuíam. Depois pediram a alguns deles que recordassem algum momento positivo dessas situações às quais tinham atribuído mais valor. Através das imagens cerebrais, os pesquisadores descobriram que quando alguém pensa em uma situação agradável, de algo que realmente lhe importa, ativam-se em seu cérebro as áreas relacionadas à recompensa (o corpo estriado ventral e o córtex pré-frontal medial ventral).

A resposta foi diferente entre aqueles que imaginavam aspectos aos quais não dão tanto valor. O mais revelador da pesquisa ocorreu quando se solicitou aos voluntários que pensassem em situações futuras. Nesses casos, ativaram-se as áreas associadas ao pensamento sobre o eu (o córtex pré-frontal medial e cingulado posterior). Os cientistas chegaram à conclusão de que pensar em nós mesmos em situações agradáveis futuras, abordando aspectos que nos importam, nos fornece uma energia extraordinária para tomar decisões. Ou seja, se estamos atravessando um mau momento e nos emitimos uma autoafirmação como "quando tudo isso passar, vamos nos divertir com os amigos", ganharemos forças.

Leia mais: El Pais Brasil

Pesquisar no site

Contato

Herbert Schutzer
visitas

Coluna

O carioca parece gostar de ser enganado

O que em cidades normais levaria a revoltas populares e processos judiciais, o morador do Rio de Janeiro aceita dando de ombros –  e reelege as mesmas figuras nas eleições, escreve Philipp Lichterbeck. O teleférico do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foi inaugurado em 2011....

A revolução dos bichos" de Orwell: quem são os porcos?

Obra do jornalista e escritor britânico aborda a revolução soviética de forma satírica. Apesar de ter sido escrito nos últimos anos da Segunda Guerra Mundial, romance segue mais atual do que nunca, 75 anos depois. A fábula de George Orwell se passa numa fazenda: "O Sr. Jones, proprietário da Granja...