Schützer Educacional - Pós, Licenciaturas, Extensões, Profissionalizantes

Governo alemão rebate Bolsonaro sobre verba para a Amazônia

Após presidente dizer que Brasil não precisa do dinheiro de Berlim, ministra alemã afirma que falas mostram que Alemanha age certo ao congelar investimentos. "Amazônia é tema da humanidade", diz porta-voz de Merkel.

"Isso mostra que estamos fazendo exatamente a coisa certa", afirmou nesta segunda-feira (12/08) a ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, em resposta à declaração do presidente Jair Bolsonaro de que o Brasil "não precisa do dinheiro" de Berlim para preservar a Floresta Amazônica.

"Apoiamos a região amazônica para que haja muito menos desmatamento. Se o presidente não quer isso no momento, então precisamos conversar. Eu não posso simplesmente ficar dando dinheiro enquanto continuam desmatando", afirmou a ministra à Deutsche Welle.

Schulze, entretanto, diz que pretende manter aberto o diálogo com o governo brasileiro. "No momento, isso não está funcionando muito bem. Mas continuamos tentando, diplomaticamente."

No sábado, Schulze disse em entrevista ao jornal Tagesspiegel que a Alemanha vai congelar investimentos de 35 milhões de euros (cerca de 155 milhões de reais) que seriam destinados a diferentes projetos de proteção ambiental no Brasil.

Leia mais: DW Brasil

Pesquisar no site

Contato

Herbert Schutzer
visitas

Coluna

Justiça impõe hierarquia federativa a Diadema

A cidade de Diadema, por força do contexto nacional, resolveu unilateralmente na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) suspender o isolamento social para algumas atividades econômicas. Contudo, a justiça suspendeu a deliberação do prefeito, fazendo valer a decisão do Governo do Estado....

Monica De Bolle: “Hoje, dane-se o Estado mínimo, é preciso gastar e errar pelo lado do excesso”

Para a economista da Universidade Johns Hopkins, ministro Paulo Guedes está preso a dogmas ideológicos e mantém letargia para tomar decisões que afetam quem já está passando fome “E, para os defensores da calma e da serenidade, saibam: o momento é de urgência”, escreve a economista brasileira...