2ª Licenciatura, Pós, Extensão e Cursos

A POLÍTICA, A RELIGIÃO E A NAÇÃO

O embricamento entre política e religião remonta ao início da história do ocidente, quando a instituição teocracia era o sistema político dominante, fundada em inúmeras crenças diferentes e caracterizada pelo politeísmo preponderante.

O surgimento do pensamento racional na Grécia Antiga, afastou a crença religiosa da política, transformando-a numa atividade laica. É claro que isso não ocorria de maneira efetiva, pois essa separação é difícil na prática, uma vez que as crenças mítico-religiosas fazem parte da cultura vivida pelas sociedades e a religião acabava por influenciar de alguma maneira a política.

O surgimento da religião católica, no final do Império Romano e o desmantelamento dele permitiu a ascensão da organização religiosa ao campo político. Durante quase mil anos a religião participou de maneira efetiva da vida política impondo normas. O surgimento do racionalismo moderno pretendeu sepultar a participação e influência religiosa na política. Vários pensadores iluministas argumentaram a necessidade do afastamento da religião da política. A atividade liberal difundida pela emergência do capitalismo se somou ao coro do laicismo, pois seu fundamento, o lucro, era contestado pelo conceito religioso da usura.

No Brasil, a separação entre Igreja e Estado foi consumado após a Proclamação da República, pondo fim a séculos de influência do catolicismo desde o período colonial. Isso na realidade ocorreu apenas no campo formal, pois a presença religiosa no campo político sempre foi ativa na história republicana. A garantia constitucional da liberdade religiosa, criou um mercado de fiéis a ser explorado e as reivindicações de cada uma das religiões acabaram por permear a política local e nacional e a Bancada Evangélica é a expressão dessa permeabilidade.

Contudo, as disputas grupais, características dos agrupamentos humanos impedem uma influência mais efetiva, pois cada uma delas quer prevalecer sobre a outra. Nesse período eleitoral que vivemos, ressurge a necessidade de se conhecer melhor as relações entre política e religião, para evitar as armadilhas eleitoreiras e alcançarmos uma efetiva representação para a sociedade como nação, onde os interesses coletivos devem preponderar sobre o dos grupos.

Herbert Schützer – Geopolítico, consultor sócio-político, docente de ciência política na FAD – Faculdade de Diadema.

 

Jornal Diadema News

Pesquisar no site

Contato

Herbert Schutzer
contador de visitas

Coluna

GEOPOLÍTICA DE UMA NAÇÃO

GEOPOLÍTICA DE UMA NAÇÃO

O que os brasileiros precisam para que a qualidade de vida atinja a maioria? Essa é uma questão antiga que teve diversas propostas desde o “famoso” Barão de Rio Branco. Mas atualmente passado mais de um século dos primeiros projetos de formação da grande nação, nos vemos sem nenhum projeto que faça...

Direita X Esquerda

Direita X Esquerda

O campo político é formado por uma variedade de posicionamentos que representam interesses diversos, que não se resumem as posições da esquerda ou da direita, estes por sua vez se aglutinam em alinhamentos que podemos distribuir em três dimensões clássicas. A distribuição dos alinhamentos políticos...