2ª Licenciatura, Pós, Extensão e Cursos

Nazistas promovem queima de livros considerados subversivos pelo regime

10/05/2018 11:35

Uma campanha de queima de livros considerados subversivos foi iniciada na Alemanha nazista em 10 de maio de 1933. Tudo o que fosse crítico ou desviasse dos padrões impostos pelo terceiro reich foi destruído. Centenas de milhares de livros foram queimados em uma ação iniciada pelas fraternidades estudantis, que apoiavam o regime de Adolf Hitler.

A queima (que ficou conhecida como Bücherverbrennung) tinha como principal alvo obras escritas por autores judeus, pacifistas, religiosos, liberais, anarquistas, socialistas e comunistas. Livros que abordavam "arte degenerada", educação sexual e pornografia também eram destruídos. Mais de 25 mil obras foram jogadas em uma fogueira montada na Praça da Ópera, em Berlim.

A opinião pública e a intelectualidade alemãs ofereceram pouca resistência à queima. Entre os poucos escritores que reconheceram o perigo e tomaram uma posição, estava Thomas Mann, que havia recebido o Nobel de Literatura em 1929. Em 1933, ele emigrou para a Suíça e, em 1939, para os Estados Unidos.

Em 1934, a "lista negra" incluía mais de três mil obras proibidas pelos nazistas. A queima de livros representou o ápice da perseguição a autores cujas ideias e opiniões eram vistas como oposição à ideologia nazista.

History

Pesquisar no site

Contato

Herbert Schutzer
contador de visitas

Coluna

A ofensiva geral

O governo francês conta igualmente com as notícias falsas das grandes mídias para disseminar “elementos de linguagem” favoráveis a seus projetos. Um ex-ministro da Economia socialista que, mais tarde, fundou um partido liberal à sua imagem e semelhança explicou certa vez a arte e o modo de criar...

Santa bala, por Janderson Lacerda

Na guerra santa que vivemos no Brasil os MOROlistas (versão personificada dos moralistas) é quem ditarão as regras do comportamento social que deve ser cultivado na República da ordem e progresso; saudações positivistas ao filósofo Miguel Lemos! Foi-se o tempo em que as balas eram ofertadas às...