2ª Licenciatura, Pós, Extensão e Cursos

Japão aceita termos da Conferência de Potsdam de rendição incondicional

10/08/2018 07:37

No dia 10 de agosto de 1945, apenas um dia após o bombardeio de Nagasaki, o Japão concordou com os termos da Conferência de Potsdam de rendição incondicional assim que o presidente dos EUA, Harry S. Truman, ordenou a suspensão dos ataques com bomba atômica. No dia 6 de agosto, os norte-amerianos haviam bombardeado Hiroshima e, três dias depois, Nagasak. Além disso, havia a invasão soviética da Manchúria. Diante desse quadro, a permanência do Japão na Segunda Guerra ficou insustentável.

Tóquio divulgou uma mensagem aos seus embaixadores na Suíça e na Suécia, que foi, então, passada aos Aliados. A mensagem aceitou formalmente a Declaração de Potsdam, mas incluiu a ressalva de que "disse que a Declaração não compreenderia qualquer demanda que prejudicasse as prerrogativas de Sua Majestade (o imperador Hirohito) como governante soberano." Quando a mensagem chegou a Washington, o presidente Truman ordenou a suspensão do bombardeio atômico. Enquanto prosseguiam as negociações entre Washington e Tóquio, a luta selvagem seguia entre o Japão e a União Soviética na Man

History

Pesquisar no site

Contato

Herbert Schutzer
contador de visitas

Coluna

A POLÍTICA, A RELIGIÃO E A NAÇÃO

O embricamento entre política e religião remonta ao início da história do ocidente, quando a instituição teocracia era o sistema político dominante, fundada em inúmeras crenças diferentes e caracterizada pelo politeísmo preponderante. O surgimento do pensamento racional na Grécia Antiga, afastou a...

A LEI PELA LEI DE QUEM?

Na academia discutimos sobre a natureza e fundamentos da lei. Um debate, sem dúvida, filosófico que realizamos no mundo ideal, cuja perfeição nos instiga a reflexões na perspectiva real-ideal. O mundo ideal, perfeito, dos objetivos maiores que os ordenamentos jurídicos apresentam e que refletem os...