2ª Licenciatura, Pós, Extensão e Cursos

Alemanha se rende incondicionalmente aos Aliados

07/05/2018 07:00

 
No dia 7 de maio de 1945, o Alto Comando Alemão, representado pelo general Alfred Jodl, assinou a rendição incondicional de todas as forças alemãs da Segunda Guerra Mundial, do Oriente e do Ocidente, em Reims, no noroeste da França.

De início, o general Jodl esperava limitar os termos da rendição alemã apenas às forças que ainda lutavam contra os aliados ocidentais. Mas o general Dwight Eisenhower exigiu a rendição completa de todas as forças alemãs, tanto as que lutavam no Oriente como no Ocidente. Se essa exigência não fosse cumprida, Eisenhower ameaçou fechar a frente ocidental, e os alemães ficariam nas mãos das forças soviéticas.

Jodl comunicou a situação ao Almirante Karl Dönitz, o sucessor de Hitler. Dönitz ordenou-lhe assinar a rendição incondicional. O general russo Ivan Então Susloparov e o general francês Francois Sevez assinaram como testemunhas, e o general Walter Bedell Smith assinou pela Força Expedicionária Aliada. Era a derrota da Alemanha ao menos no papel. A luta ainda duraria mais um dia no Oriente, contudo, a guerra no Ocidente havia acabado.

History

Pesquisar no site

Contato

Herbert Schutzer
contador de visitas

Coluna

A ofensiva geral

O governo francês conta igualmente com as notícias falsas das grandes mídias para disseminar “elementos de linguagem” favoráveis a seus projetos. Um ex-ministro da Economia socialista que, mais tarde, fundou um partido liberal à sua imagem e semelhança explicou certa vez a arte e o modo de criar...

Santa bala, por Janderson Lacerda

Na guerra santa que vivemos no Brasil os MOROlistas (versão personificada dos moralistas) é quem ditarão as regras do comportamento social que deve ser cultivado na República da ordem e progresso; saudações positivistas ao filósofo Miguel Lemos! Foi-se o tempo em que as balas eram ofertadas às...