2ª Licenciatura, Pós, Extensão e Cursos

Alemanha se rende incondicionalmente aos Aliados

07/05/2018 07:00

 
No dia 7 de maio de 1945, o Alto Comando Alemão, representado pelo general Alfred Jodl, assinou a rendição incondicional de todas as forças alemãs da Segunda Guerra Mundial, do Oriente e do Ocidente, em Reims, no noroeste da França.

De início, o general Jodl esperava limitar os termos da rendição alemã apenas às forças que ainda lutavam contra os aliados ocidentais. Mas o general Dwight Eisenhower exigiu a rendição completa de todas as forças alemãs, tanto as que lutavam no Oriente como no Ocidente. Se essa exigência não fosse cumprida, Eisenhower ameaçou fechar a frente ocidental, e os alemães ficariam nas mãos das forças soviéticas.

Jodl comunicou a situação ao Almirante Karl Dönitz, o sucessor de Hitler. Dönitz ordenou-lhe assinar a rendição incondicional. O general russo Ivan Então Susloparov e o general francês Francois Sevez assinaram como testemunhas, e o general Walter Bedell Smith assinou pela Força Expedicionária Aliada. Era a derrota da Alemanha ao menos no papel. A luta ainda duraria mais um dia no Oriente, contudo, a guerra no Ocidente havia acabado.

History

Pesquisar no site

Contato

Herbert Schutzer
contador de visitas

Coluna

A LEI PELA LEI DE QUEM?

Na academia discutimos sobre a natureza e fundamentos da lei. Um debate, sem dúvida, filosófico que realizamos no mundo ideal, cuja perfeição nos instiga a reflexões na perspectiva real-ideal. O mundo ideal, perfeito, dos objetivos maiores que os ordenamentos jurídicos apresentam e que refletem os...

A ÚLTIMA FRONTEIRA DO CAPITALISMO NEOLIBERAL – É AQUI

Há dez anos escrevi um artigo sobre a África, onde discorri sobre a ação do capital na porção subsaariana do continente. Os impedimentos de natureza cultural, que apesar do longo período de colonialismo europeu, se constituíam em obstáculos a plena incorporação do continente no capitalismo...